Eu procurei em algum site a transcrição em português da apresentação do personagem “V”, do filme “V, de Vingança” (Warner Bros.), para indicar o link, mas não encontrei.

Mas, o desencontro foi bem vindo, pois me permitiu fazer a transcrição de um texto que acho muito criativo, já que grande parte dele é composto por palavras que se iniciam com a letra “v”.

Para quem quiser saber mais sobre o filme, acesse http://pt.wikipedia.org/wiki/V_for_Vendetta_(filme), ou assista, que melhor ainda.

Então, segue o texto, a partir do momento que “V”, salva Evey de ser violentada.

Até qualquer hora…

V- Garanto que não vou lhe fazer mal.

Evey – Quem é você?

V – Quem … quem é a só a forma que deve ter um porque, e o que eu sou é um homem de máscara.

Evey – Isso eu já notei.

V – É claro que já. Não questionei seus poderes de observação, apenas enfatizei o paradoxo de perguntar a um mascarado “quem” ele é.

Evey – Ah… tá…

V – Mas, nesta noite auspiciosa, permita que em lugar de uma alcunha corriqueira, eu sugira o caráter dessa persona dramática:

Voilà … À sua vista um humilde veterano do vaudevillian trajado com vestes de vítima e vilão pelas vicissitudes do destino. Este semblante não é um mero verniz de vaidade, é um vestígio de vox populi, agora vazia e esvaecida.

Porém, esta valorosa visitação de uma vexação passada se encontra vivificada, e fez um voto de vencer os vermes, venais e virulentos, que se valem do vício e valorizam a violação violenta depravada e voraz da vontade…

O único veredito é a vingança, a vendeta, tida como volitiva, não por vaidade, pois o valor e a veracidade de tal devem um dia vindicar o vigilante e o virtuoso… risos …

Verdade como esta vivida verborragia já se torna assas verboso…

Permita-me que eu acrescente que uma grande honra para mim conhece-la, e a senhorita pode me chamar de “V”.”

About these ads